fbpx

Edital de convocação – assembleia geral extraordinária da Sustenidos

Edital de convocação

Assembleia Geral Extraordinária

Sustenidos Organização Social de Cultura

21/07/2018 – 18h00

Aos senhores Associados
Ref.: Assembleia Geral Extraordinária

Prezados Associados,

Venho pela presente, em conformidade com o artigo 19, inciso, I , alínea “c”, do Estatuto Social da Sustenidos Organização Social de Cultura, inscrita no CNPJ/MF sob n.º 01.891.025/0001-25, convoca-los para a realização da Assembléia Geral Extraordinária, a realizar-se em 21 de julho de 2020, às 18h00, de modo virtual em link que será disponibilizado aos associados da Organização, para eleger e dar posse a membro do Conselho de Administração:

1. Eleger e dar Posse a Membro do Conselho de Administração.

Contamos desde já com a sua participação e colocamo-nos à disposição para os esclarecimentos que se fizerem necessários.

Atenciosamente,
Marcos Queiroga Barreto
Presidente do Conselho de Administração Sustenidos Organização Social de Cultura

Gabriele Leite é aprovada para mestrado em Nova York e ganha bolsa integral

x-aluna do Projeto Guri na cidade de Cerquilho, Gabriele Leite alcançou mais um feito: foi aprovada para fazer mestrado em violão na Manhattan School of Music, em Nova York. E ainda ganhou bolsa integral pela Cultura Artística.

Gabriele Leite :

_ Foi finalista do festival Imagine Brazil, ao lado de Marcelo Brito, com o Duo Memórias, em 2018;
_ A 1ª mulher a ganhar o concurso Souza Lima, em SP, em 30 anos de concurso!!! em 2018;
_ Prêmios de melhor participação brasileira no 27º festival internacional de violão de Koblenz, na Alemanha, em 2019.

Gabriele - Veja

 

Gabriele - Cultura Artística

 

Gabriele - Unesp

 

 

 

Marie Claire

 

 

 

 

 

Marcelino vai a Moçambique, segundo livro da Sustenidos sobre intercâmbio; em breve

Marcelino vai a Moçambique - capa

Muita gente acha que a música não dá oportunidade para ninguém. Mas Marcelino discorda! Foi graças a ela que o violonista do interior de São Paulo teve a chance de viver quase um ano em Moçambique, na África. Ali, dançou Marrabenta, ensinou crianças, conheceu a história do Rei Mocho, tocou chitende e visitou Mafalala. As descobertas, inclusive os segredos das deliciosas badjias, ele conta no livro Marcelino vai a Moçambique, segundo título da Sustenidos Organização Social de Cultura sobre a experiência no MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange). A história será lançada no dia 10 de julho, no site da Sustenidos, e estará disponível para download gratuito.

O MOVE – Musicians and Organizers Volunteer Exchange é um programa de intercâmbio e voluntariado entre as organizações musicais JMNorway, Trøndertun Folk High School, Music Crossroads Malawi, Music Crossroads Moçambique e Sustenidos. A ação é custeada pela Norec – Agência Norueguesa para Cooperações em Intercâmbios.

Desde 2015, o MOVE é realizado no Brasil pela Sustenidos Organização Social de Cultura, instituição gestora do Projeto Guri no interior, litoral e Fundação CASA. A cada ano, seis jovens ex-alunos e educadores do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e conomia Criativa do Estado de São Paulo – passam uma temporada de dez meses nos outros países participantes: Noruega, Malawi e Moçambique. Da mesma forma, a cada ano, seis jovens músicos e musicistas desses países passam dez meses trabalhando como voluntários nos polos de ensino do Projeto Guri e em outras organizações parceiras.

“Após alguns anos de colaboração entre as organizações, tivemos a ideia de elaborar livros infantis que contassem um pouco sobre a experiência de ser estrangeiro e viver em outro país. Esperamos que esta coleção desperte nas crianças a curiosidade em relação ao mundo, a coragem de conhecer o novo e o respeito por aquilo que é diferente”, conta Alessandra Costa, autora dos livros e diretora executiva da Sustenidos.

 

Marcelino vai a Moçambique - ilustração

Ficha técnica:

Marcelino vai a Moçambique
Autor: Alessandra Fernandez A. Costa
Ilustrações: Rafa Antón
Pesquisa: Ananda Miranda, Renan Castro Dias e Alessandra Fernandez A. Costa
Edição: Maria Eugênia Menezes e Helen Valadares
Designer gráfico: Kelly Sato

Lançamento: dia 10 de julho, no site da Sustenidos Organização Social de Cultura

 

Sobre o MOVE: O Musicians and Organizers Volunteer Exchange (MOVE) é um programa de intercâmbio e voluntariado entre as organizações musicais JMNorway, Trøndertun Folk High School, Music Crossroads Malawi, Music Crossroads Moçambique e Sustenidos. A ação é custeada pela Norec – Agência Norueguesa para Cooperações em Intercâmbios.

Desde 2015, o MOVE é realizado no Brasil pela Sustenidos Organização Social de Cultura, instituição gestora do Projeto Guri no interior, litoral de São Paulo. A cada ano, seis jovens ex-alunos e educadores do Projeto Guri são selecionados(as) para passar uma temporada de dez meses nos outros países participantes: Noruega, Malawi e Moçambique. Da mesma forma, a cada ano, seis jovens músicos e musicistas desses países passam dez meses trabalhando como voluntários(as) nos polos de ensino do Projeto Guri e em outras organizações parceiras.

Durante a jornada, eles atuam em festivais, aulas de música e capacitações, além de enfrentar o desafio de viver em um contexto completamente novo. Em alguma medida, essa experiência muda a vida de todos que dela participaram.

Sobre o Projeto Guri: Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos: Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização gestora do Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil, MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange) e Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa de ensino musical no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; SulAmérica; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; Banco Votorantim; VALGROUP;  Novelis; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander;  Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval e Pirelli.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcelino vai a Moçambique é o segundo título de uma coleção formada por três volumes, que conta também com Carolina vai ao Malawi, lançado no dia 10 de maio e Laura vai à Noruega, previsto para o dia 10 de agosto. Alessandra Costa assina os textos de todos os livros, mas os ilustradores são distintos e seguem o perfil de cada fascículo.

Rafa Antón foi o ilustrador escolhido para dar cor e forma às descobertas do simpático Marcelino durante a estadia em Moçambique.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ficha técnica:
Marcelino vai a Moçambique
Autor: Alessandra Fernandez A. Costa
Ilustrações: Rafa Antón
Pesquisa: Ananda Miranda, Renan Castro Dias e Alessandra Fernandez A. Costa
Edição: Maria Eugênia Menezes e Helen Valadares
Designer gráfico: Kelly Sato

Lançamento: dia 10 de julho, no site da Sustenidos Organização Social de Cultura

Sobre o MOVE: O Musicians and Organizers Volunteer Exchange (MOVE) é um programa de intercâmbio e voluntariado entre as organizações musicais JMNorway, Trøndertun Folk High School, Music Crossroads Malawi, Music Crossroads Moçambique e Sustenidos. A ação é custeada pela Norec – Agência Norueguesa para Cooperações em Intercâmbios.

Desde 2015, o MOVE é realizado no Brasil pela Sustenidos Organização Social de Cultura, instituição gestora do Projeto Guri no interior, litoral de São Paulo. A cada ano, seis jovens ex-alunos e educadores do Projeto Guri são selecionados(as) para passar uma temporada de dez meses nos outros países participantes: Noruega, Malawi e Moçambique. Da mesma forma, a cada ano, seis jovens músicos e musicistas desses países passam dez meses trabalhando como voluntários(as) nos polos de ensino do Projeto Guri e em outras organizações parceiras.

Durante a jornada, eles atuam em festivais, aulas de música e capacitações, além de enfrentar o desafio de viver em um contexto completamente novo. Em alguma medida, essa experiência muda a vida de todos que dela participaram.

Sobre o Projeto Guri: Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos: Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização gestora do Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil, MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange) e Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa de ensino musical no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; SulAmérica; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; Banco Votorantim; VALGROUP;  Novelis; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander;  Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval e Pirelli.

Projeto Guri: aulas presenciais deverão ser retomadas a partir de 8 de setembro

Prezados e prezadas

 A retomada das atividades presenciais nos polos de ensino do Projeto Guri está prevista para o dia 8 de setembro.

Conforme decreto do Governo do Estado de São Paulo, o cronograma de reabertura será gradual e está condicionado às fases de flexibilização do Plano São Paulo de prevenção e combate ao Coronavírus.

 A Sustenidos Organização Social de Cultura – gestora dos polos do Projeto Guri no interior, litoral e Fundação CASA – cumpre o período de quarentena como medida preventiva e prepara-se para o retorno.

O Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – segue em contato com a comunidade, bem como com os alunos e alunas, por meio do site institucional e das redes sociais.

 Nossas equipes estão disponibilizando conteúdos, como espetáculos, livros para download e playlists, e se mobilizam para preparar e enviar atividades artístico-pedagógicas aos alunos que estão em casa nesse período.

Estas são as deliberações até o momento. Novas orientações serão divulgadas a qualquer momento em nossos canais de comunicação.

#CulturaEmCasa           #VamosDeMúsica

https://www.educacao.sp.gov.br/noticias/governo-de-sp-anuncia-retomada-das-aulas-para-8-de-setembro/

Do Guri para o Mundo: vídeo de Miriam Momesso foi selecionado pela Unesco

Há 25 anos, o Projeto Guri faz parte da história de crianças e jovens.

São mais de 810 mil ex-alunos beneficiados pelo programa e pelo poder de transformação da música.

Em homenagem a eles, criamos Do Guri para o Mundo,
uma série que retrata o caminho trilhando por nossos Guris, quem são, onde estão e o que mudou na vida deles.

São histórias inspiradoras. Acompanhe a série conosco e vibre, você também, com nossos Guris!

Esta semana, Miriam Momesso, ex-intercambista na África que teve documentário selecionado pela Unesco.

Miriam Momesso

 

 

 

 

 

 

 

Campanha #AbraUmaJanela leva música e entretenimento durante isolamento social

Ação visa confortar e unir pessoas, mesmo distantes, além de propor novas perspectivas por meio das músicas tocadas por participantes dos programas administrados da Sustenidos

Com o intuito de levar conforto à população por meio da música, a Sustenidos Organização Social de Cultura lançou a campanha #AbraUmaJanela no dia 21 de junho – Dia da Música. A Sustenidos é responsável pela gestão do Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil, MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange) e Projeto Guri nos polos do interior, litoral e Fundação CASA.  As ações, gratuitas, estarão disponíveis na página oficial da campanha abraumajanela.sustenidos.org.br, no canal da Sustenidos no Youtube, com chamadas no Facebook e em pílulas no Instagram.
“O mote da campanha #AbraUmaJanela reforça a importância de as pessoas respirarem e enxergarem além das preocupações e ansiedades dos dias de hoje. Queremos promover experiências de diferentes estilos e origens, que as façam se sentir mais leves, por meio da música”, reforça Alessandra Costa, Diretora Executiva da Sustenidos.

A música tem transformado a rotina das famílias durante o isolamento social, pois embala as tarefas do dia a dia, une os integrantes da casa, refresca nossa memória afetiva e ganha eco em nossas comunidades virtuais. Ela está na cozinha, fonte inesgotável de pesquisa que faz da sucata um instrumento musical. Ou na produção de vídeos e oficinas que movimentam a todos. Nas reuniões virtuais em que os jovens cantam e tocam juntos. E nessa infinidade de ações que se propaga por meio das redes sociais A música diverte, une, traz alento, faz história, inspira e convida: Abra Uma Janela você também!

Conduzida pela agência Suno United Creators, responsável pelo planejamento, peças e identidade visual, a campanha será 100% digital, com foco nas mídias sociais e contará com três ações simultâneas. A primeira com o tema: Vamos abrir a janela do aprendizado, na qual jovens e adolescentes do Projeto Guri ensinarão as famílias a construir instrumentos em casa, a fazer música com diferentes objetos, percussão corporal, brincadeiras musicais e outras atividades.

A ação Vamos abrir uma janela onde não existia contemplará a abertura de lives com performance de jovens dos programas administrados pela Sustenidos interpretando diferentes músicas na contagem regressiva das apresentações.

Outra proposta, Vamos abrir uma janela para uma surpresa, levará vídeos dos jovens integrantes dos programas geridos pela Sustenidos, a reuniões e conferências, tornando o encontro mais exclusivo e intimista. As músicas também poderão ser veiculadas durante a espera de chamadas em empresas e/ou instituição que desejam apoiar a ação. 

A pandemia de Covid-19 tem gerado impactos sem precedentes. Ciente do seu importante papel social e apostando na sua contribuição para atenuar o desconforto que a situação global traz, a Sustenidos direcionou seus esforços para seguir trabalhando em prol do desenvolvimento humano.

“A campanha é um importante passo para a Sustenidos reforçar o trabalho que está sendo construindo com as crianças e jovens de todo o Brasil, além de proporcionar não somente a transformação destes adolescentes, mas também dos familiares, comunidade e toda a sociedade por meio da música”, finaliza Alessandra.


“O desafio era fazer algo sensível ao contexto, sem deixar de lado uma visão de eficiência para a campanha. A ideia foi estruturada sob uma inversão de papéis e lógicas. Ao invés de pedir recursos para a Sustenidos, hoje se torna mais interessante oferecer as lições e aprendizados da Sustenidos para as pessoas. Isso porque muito além da música, estamos falando de oferecer uma manutenção de saúde mental, como um respiro positivo durante a quarentena. A Sustenidos sabe disso há muito tempo, eles não ensinam apenas música para as crianças e jovens, mas contribuem para o desenvolvimento integral deles e de suas comunidades. A campanha traduz um desejo de expandir o alcance desse impacto positivo para mais pessoas e abrir novas janelas para todos. Ao abrir uma janela para deixar as lições de música e empatia da Sustenidos entrarem em casa, enxergamos o lado de dentro da janela, o outro e o trabalho que a Sustenidos faz e segue fazendo há anos por tantas crianças, jovens, comunidades e, por último e nem por um segundo menos importante, pela cultura do País”, explica Giulia Queiroz, líder de estratégia da Suno United Creators.

Conheça a Sustenidos
A Sustenidos Organização Social de Cultura – referência na concepção, implantação e gestão de políticas públicas na área de educação música – é responsável pelo  Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil e MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange), e administra desde 2004 o Projeto Guri (maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo). Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Organização é vencedora do Prêmio internacional YAMA Awards, na categoria Voto Popular (2013); prêmio de Ordem do Mérito Cultural, concedido ao Projeto Guri pelo presidente da República (2003); prêmio Multicultural Estadão, ao Projeto Guri, na categoria Melhor Projeto de Fomento à Cultura do Ano (2000). Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Contribua você também: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/

 
Projeto Guri
Maior programa sociocultural brasileiro oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA).  Mais de 820 mil crianças e jovens foram beneficiados pelo programa em 25 anos. Atualmente, atende cerca de 50 mil alunos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Só em 2019, o Projeto Guri impactou mais de 580 mil pessoas dentre familiares e público em geral.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; SulAmérica; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste;  Banco Votorantim; VALGROUP;  Novelis; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander;  Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval, Pirelli.

Do Guri para o Mundo: após temporada na Noruega, Aydan Schmidt grava EP e singles

Há 25 anos, o Projeto Guri faz parte da história de crianças e jovens.

São mais de 810 mil ex-alunos beneficiados pelo programa e pelo poder de transformação da música.

Em homenagem a eles, criamos Do Guri para o Mundo,
uma série que retrata o caminho trilhando por nossos Guris, quem são, onde estão e o que mudou na vida deles.

São histórias inspiradoras. Acompanhe a série conosco e vibre, você também, com nossos Guris!

Esta semana, Aydan Schmidt, ex-aluno do Polo São Vicente que fez intercâmbio na Noruega, gravou um EP e dois singles.

Aydan Schimidt

Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil: proteger as crianças é um dever de todos

Você sabia que 12 de junho é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil?
A data foi instituída pelo decreto de Lei nº 11.542 de 12 de novembro de 2007.

Nós da Sustenidos aderimos ao convite da Plan International do Brasil, em continuidade à campanha #QuarentenaSimViolenciaNão que agora convoca a todos para agir contra o trabalho infantil, adotando também a hashtag #DigaNãoAotTrabalhoInfantil.

12 de junho, vamos fortalecer e reforçar nosso posicionamento na luta e no combate
contra o trabalho infantil e o trabalho ilegal de adolescentes.

A condição ilegal de trabalho destrói a infância e a adolescência de pelo menos 2,4 milhões de meninos e meninas entre 5 e 17 anos no Brasil (Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua 2016, do IBGE).

As difíceis realidades dentro de um território diverso e desigual
Pesquisas setoriais e inéditas publicadas pelo FNPETI  – Forum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil – https://fnpeti.org.br  revelam que mais de 580 mil crianças e adolescentes de até 13 anos trabalham em atividades ligadas à agricultura e à pecuária, que estão na lista das piores formas de trabalho infantil.

As crianças negras representam 62,7% da mão de obra precoce no País. Quando se trata de trabalho infantil doméstico, esse índice aumenta para 73,5%, sendo mais de 94% meninas. Esses números só começaram a ser explorados mais recentemente, devido ao reconhecimento do impacto do Racismo histórico e estrutural na sociedade brasileira.

Impactos
O trabalho infantil deixa marcas na infância que, muitas vezes, tornam-se irreversíveis e perduram até a vida adulta. Traz graves consequências à saúde (ansiedade, pânico, alterações no desenvolvimento cognitivo, fobia social, isolamento, perda de afetividade, baixa autoestima e depressão, problemas respiratórios, lesões e deformidades na coluna, alergias, distúrbios do sono, amputações, ferimentos causados por objetos cortantes, queimaduras, picadas de animais peçonhentos e morte), à educação (baixo rendimento escolar, distorção idade-série, abandono da escola e não conclusão da Educação Básica), ao lazer e à convivência familiar.

No Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil devemos reforçar o posicionamento, mas esta causa é para ser combatida todos os dias!
Proteja nossas crianças e adolescentes  você também!!!

Faça parte dessa campanha. Use os cards e divulgue informações usando as hashtags. Compartilhe e, principalmente, denuncie!!!

#QuarentenaSimViolênciaNão #DigaNãoAoTrabalhoInfantil #Sustenidos #ProjetoGur