Duo Ouriba vence Imagine Brazil; Nego Bala leva segundo lugar; Lau, terceiro

Duo Ouribá foi o grande vencedor da quinta edição do Imagine Brazil 2019, competição internacional de música voltada para o público jovem, de 13 a 21 anos. A dupla é composta por Gabriela Gaspar Mauricio e Karina Alves Américo, alunas do Grupo de Referência do Projeto Guri, em Bauru; e do Conservatório Musical, de Tatuí. O dueto superou os outros nove finalistas que competiram neste sábado (07), no Centro Cultural Olido, em São Paulo/SP, e levaram para casa o prêmio de R$ 3 mil e uma vaga na final internacional do evento – que será realizada na Europa – com todas as despesas pagas pelo concurso.

O Imagine é idealizado pela Jeunesses Musicales International (JMI) – maior ONG de música para jovens do mundo – e é realizado no Brasil pela Sustenidos, organização gestora do Projeto Guri – maior programa sociocultural do País, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. Os 10 finalistas (grupos, duplas e solistas) foram selecionados durante as três semifinais realizadas nas cidades de Lençóis Paulista (09/11); São Paulo (23/11) e São José do Rio Preto (30/11).

Para a apresentação, a dupla apostou em composições inéditas de Paulo Maia, músico bauruense. Também foi feita a explanação de um texto sobre o cenário atual brasileiro e a violência. “Criei o texto no hotel quando lembrei de um amigo que faleceu recentemente e achava importante partilhar uma mensagem para mudança do pensamento da sociedade”, descreveu Gabriela.

Sobre a composição, a jovem afirmou que o objetivo era trazer reconhecimento aos músicos da cidade de Bauru. “Conversamos com o Paulo Maia e ele aceitou desenvolver um repertório para o Imagine. Ele é como um padrinho para nós. Para a competição na Europa, pretendemos seguir a mesma linha e contar com as composições do artista”, acrescenta.

De acordo com Karina, a conquista do primeiro lugar foi uma grande surpresa. “Não esperávamos (a primeira colocação). Mas acredito que essa vitória veio em decorrência de todo o conhecimento adquirido no Projeto Guri, que nos deu embasamento para montar a apresentação. E também por meio do workshop com o compositor e diretor Gustavo Kurlat (oficina oferecida pelo concurso sobre os temas que envolvem um show, com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento artístico dos finalistas)”.

Neste ano, o segundo colocado, Nego Bala, foi surpreendido com uma novidade: a oportunidade de competir na final da Europa, em 2021. “É a primeira vez que participo de um concurso e eu gostei do modelo, de como eles colocaram os jurados no meio da plateia. Não esperava estar entre os três (vencedores), mas foi uma vitória que não é apenas minha, mas de todos os garotos da comunidade que lutam e sonham com conquistas diariamente. Por isso, foi mais do que um prêmio, foi uma injeção de autoestima”, afirma o cantor.

Nego Bala é de São Paulo, canta funk há 11 anos, é produtor e roteirista. Apresentou-se em eventos como a Virada Cultural, e em espaços como Mundo Pensante e Baixo Augusta. Uma de suas músicas, “Buraco no Céu”, entrou no curta “Brasil Impossível”, filme em que divide a trilha sonora com um clássico de Caetano Veloso. Para a apresentação na Europa, o jovem promete grandes novidades. “Quero aprimorar mais os concertos e afinações. Minha proposta é levar uma banda com diversos instrumentos para representar o nosso Brasil da melhor forma possível”, acrescenta. O jovem levou um prêmio de R$ 2 mil.

Em terceiro lugar, ficou com o músico Lau que retornou ao palco com formação coletiva Lau e Eu & Banda. Ao lado de Helena Cruz, Vinícius Rodrigues e Rafael Perez, o cantor tocou rock alternativo e melodias poéticas e recebeu um cheque de R$ 1.500. “Este é o meu terceiro e último ano (o jovem atingiu a idade máxima, 21 anos). Durante as três edições, percebi o esforço e a boa vontade de pessoas que se dispuseram a proporcionar uma experiência transformadora na vida de jovens recém-chegados ao mundo dos sonhos e da arte”, conclui Lau.

Patrocinadores, por meio do ProAC – Programa de Ação Cultural: SKY, Supermercado Tauste, Grupo Colorado, WestRock, Aché, Grupo Maringá, Hyundai Glóvis e Supermercados Rondon.

Apoio: Estúdio Loop

Imagine Brazil
O festival Imagine Brazil ocorre desde 2015, para jovens de 13 e 21 anos, residente no Estado de São Paulo. Esta competição musical envolve todos os estilos e acontece anualmente em diversos países do globo, como Bélgica, Croácia, França, Malawi, Noruega, Eslovênia, Suécia, Zimbábue.

A banda Sephion foi a campeão da primeira edição do imagine Brazil, em 2015, e disputou o Imagine International Festival no ano seguinte, na Croácia. Em 2016, o Trio Alma Brasileira ganhou o concurso, mudou o nome artístico para Trio Retrato Brasileiro, e representou o Brasil no mundial. Arthur Endo, vencedor em 2017, competiu a final na Holanda. Atual campeã nacional, a banda Entalpia recebeu um workshop de carreira com o rapper Criolo e disputou o torneio internacional, também na Holanda.

Criado pela Jeunesses Musicales International (JMI), maior ONG de música para jovens do mundo, o Imagine é realizado no Brasil pela Sustenidos Organização Social de Cultura – gestora do Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo.

Sobre o Projeto Guri
Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 770 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos
Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *