fbpx

Grupo do Malawi já está no Brasil e ministra oficinas para educadores e Guris

Hear Us Children, grupo do Malawi (África), chegou em São Paulo no sábado (1º/6). Após um passeio pelo Museu do Futebol, os jovens seguiram para Sorocaba, cidade em que participarão de uma série de oficinas nos próximos dias.

Veja como foi:

Por meio da dança e do canto, os jovens do Hear Us Children preservam e divulgam a cultura de Lilongue, no Malawi (África), local de origem do grupo. Os integrantes, de 16 a 25 anos, farão workshops e espetáculos, em quatro cidades.

A ação é mantida pela Music Crossroads Malawi, instituição que incentiva o potencial musical dos jovens. A vinda do Hear Us Children ao Brasil faz parte de uma parceria entre a organização internacional e a Amigos do Guri, gestora do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado.

O musical ‘Mizimu’, que conta um pouco da história da África, será apresentado em três unidades do Sesc no Estado de São Paulo: Sorocaba (7/6), Piracicaba (13/6) e São José dos Campos (19/6). Uma apresentação especial está agenda para o dia 22/6, no Museu Afro Brasil, na capital paulista. Todos os espetáculos serão gratuitos e abertos ao público em geral.

No musical, o grupo conta a história do seu país, retratando a cultura, a beleza natural, a fauna exuberante e os resquícios deixados pela exploração europeia. Também destaca danças regionais, como mwinoghe, gwanyansa, chisamba/chingondo, kazukuta, kalumbwana, beni e ching’ande.

Em workshop, trabalhará técnicas para unir canto e movimento corporal, percussão malawiana e canções regionais. A oficina terá participação de educadores, funcionários e alunos do Projeto Guri, além de membros de outras organizações parceiras.

A Amigos do Guri proporcionará ao Hear Us Children visitas a espaços culturais e atividades de integração com seus estudantes. Durante o intercâmbio, os Guris ensinarão canções brasileiras aos integrantes do grupo, que poderão ser integradas ao repertório de apresentações.

Objetivo do intercâmbio:

• Ampliar as referências culturais dos adolescentes e jovens de ambos os programas;
• Incrementar as competências de expressão corporal dos alunos do Projeto Guri;
• Capacitar educadores para utilizar atividades de expressão corporal aliadas ao canto;
• Ampliar o conhecimento do público sobre a cultura africana, mais especificamente sobre o Malawi.

Serviço: Hear Us Children

7 de junho, às 17h – Sesc Sorocaba – Área de Convivência
R. Barão de Piratininga, 555, Jd. Faculdade, Sorocaba/SP

13 de junho, às 11h – Sesc Piracicaba – Parque Lúdico
 R. Ipiranga, 155, Centro – Piracicaba/SP

19 de junho, às 19h30 – Sesc São José dos Campos – Comedoria
Av. Dr. Adhemar de Barros, 999, Jd. São Dimas – São José dos Campos/SP

22 de junho, às 11h – Museu Afro Brasil – Parque do Ibirapuera
Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 10, Ibirapuera – São Paulo/SP
Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 770 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Serviço

Sobre a Amigos do Guri
Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Amigos do Guri administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: CTG Brasil; VISA; WestRock; Bayer; Microsoft; VALGROUP; Supermercados Tauste; Novelis; Caterpillar; EMS; Capuani do Brasil; Pinheiro Neto; Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn; Grupo Maringá; AES Tietê; Faber Castell; ASTA; Mercedez-Benz; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Raízen; Arteris; GRUPO GR; Tereos.

Iniciativas de alunos, educadores e familiares fortalecem o meio ambiente

Camiseta reciclada

A busca por soluções sustentáveis é uma preocupação cada vez mais frequente dentro das empresas e organizações. Por isso, muitas delas têm produzido iniciativas a fim de beneficiar o meio ambiente, como é o exemplo do Projeto Guri. Preocupada em conciliar o desenvolvimento musical de crianças e adolescentes com a responsabilidade ambiental, a organização tem aplicado diversas ações nos polos de ensino distribuídos no interior e litoral de São Paulo.

Maior programa sociocultural brasileiro mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto atendeu mais de 50 mil alunos, somente em 2018, nos seus 336 polos distribuídos em 280 municípios do Estado. Parte das camisetas utilizadas por esses Guris foram reutilizadas em trabalhos artesanais nos polos das regionais Presidente Prudente e Jundiaí.

Por meio de uma iniciativa que envolveu um trabalho social da cidade de Alvares Machado, o polo local recebeu cortinas novas confeccionadas com essas camisetas. “Nos Polos Mirante do Paranapanema e Narandiba, com uma mobilização que contou com o apoio da comunidade, familiares e dos próprios alunos, foi possível desenvolver capas para instrumentos, tapetes de retalhos e bolsas”, descreve Maria Fernanda Belonci, supervisora operacional do Polo Regional Presidente Prudente.

No Polo Regional Jundiaí, o processo de reutilização das camisetas também foi aplicado. As roupas foram usadas para confeccionar bolsas, sacolas, capas para cadernos, mochilas e almofadas. Os itens foram produzidos pela mãe de duas alunas e distribuídos aos Guris.

Coleta seletiva nos polos

Algumas unidades do Projeto Guri possuem coleta seletiva. É o exemplo dos Polos das Regionais de Sorocaba e Marília. Em Marília, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Limpeza Pública do município, o polo conseguiu realizar uma parceria com uma coletora local.

Todo o material removido, posteriormente, é transformado em objetos decorativos, cortinas, vasos, entre outros. “Está em nossa programação deste ano uma atividade socioeducativa com os alunos para incentivar a coleta diretamente no polo. Assim, eles poderão trazer os materiais recicláveis de suas residências também”, afirma Talita Brandão, coordenadora do Polo Regional Marília.

Já os Polos São Miguel Arcanjo e Pilar do Sul, por meio de uma parceria com as Secretarias de Meio Ambiente de cada município, servem como ponto de coleta de recicláveis da comunidade. Dessa forma, semanalmente os moradores locais levam os materiais para ambos os polos e uma cooperativa faz a remoção.

“Recebemos todos os tipos de materiais. Desde óleo usado até eletrônicos. Além disso, exercitamos nos Guris uma conscientização sobre o uso de descartáveis. Há três anos, aproximadamente, não usamos copos plásticos nas unidades”, explica Marcia Brisola, coordenadora de polo do Projeto Guri. “Neste ano, iniciamos também uma horta e um jardim tanto no Polo São Miguel Arcanjo como no Polo Pilar do Sul, a fim de despertar uma preocupação com o meio ambiente”, completa.

No mês em que se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 05 de junho, o Guri realizará inúmeras ações nos polos, como plantio de mudas, palestras sobre as definições de resíduos secos (recicláveis) e orgânicos, além de conversas nas salas de aula sobre a destinação correta de itens como pilhas, baterias e óleo de cozinha usado. As ações integram as atividades socioeducativas do Guri Consciente, programa que desperta a consciência social de crianças e jovens, e é inspirado em quatro pilares: cidadania e direitos; meio ambiente e sustentabilidade; saúde; ética e diversidade.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: CTG Brasil; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; VALGROUP; Supermercados Tauste; Novelis; Caterpillar; EMS; Capuani do Brasil; Pinheiro Neto; Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn; Grupo Maringá; AES Tietê; Faber Castell; Distribuidora Ikeda, ASTA; Mercedez-Benz; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Raízen; Arteris; GRUPO GR; Pirelli; Tereos.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 770 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Amigos do Guri administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.